sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

A filosofia absurda

“Só existe um problema filosófico realmente sério: o suicídio. Julgar se a vida vale a pena ou não de ser vivida é responder a pergunta fundamental da filosofia”. – Albert Camus- O Mito De Sísfo 

Segundo Camus, no mesmo livro, “pensar é começar a ficar atormentado” e raramente as pessoas se suicidam por reflexão. Segundo ele: “um gesto desses se prepara no silêncio do coração, da mesma maneira que uma grande obra. O próprio homem ignora. Uma noite ele dá um tiro em si mesmo ou se joga pela janela”. 

Toda essa reflexão faz parte da filosofia do absurdo e a tentativa de busca para o sentido da vida. É interessante que Camus coloca a questão do suicídio como centro de sua filosofia. Isso ocorre porque para ele, todas as outras respostas não são suficientes para nos manter convencidos e saciados. Afinal, a confusão de nosso mundo e nossa sede por clareza se contrapõe. 

Ainda não terminei o livro, mas desde já gosto muito dele. É uma obra excelente que provoca grandes reflexões. Caso não tenha entendido o absurdo, achei uma parte que talvez o defina: 

“Esse divórcio entre o homem e sua vida, o ator e o cenário é propriamente o sentimento absurdo. E como todos os homens sadios já pensaram no seu próprio suicídio, pode se reconhecer, sem maiores explicações, que há um laço direto entre tal sentimento e a aspiração ao nada”.  

Fiz essa postagem porque achei interessante o vídeo abaixo. Acho que a conclusão do vídeo é diferente do conclusão do livro: 



2 comentários:

  1. O vídeo postado enfraqueceu seu texto. Gosto do texto, não do vídeo. ;)

    ResponderExcluir